Mensagens

Você está aqui: Home | Mensagens | Orando com os Ouvidos

Orando com os Ouvidos

Pr. Aluizio de Moraes Filho

 

“De certa feita, estava Jesus orando em certo lugar; quando terminou, um de seus discípulos lhe pediu: Senhor, ensina-nos a orar…” (Lc 11:1a)

A Bíblia não nos diz nem o lugar, o momento ou o teor desta oração, mas ela foi tão tremenda que despertou neste discípulo, que poderia ser qualquer um, o desejo arrebatador de aprender a orar, e fez um sublime pedido a Jesus: Senhor, ensina-nos a orar! Não ensina-me, mas ensina-nos, pois aquele que quer aprender a orar com Jesus quer que outros igualmente aprendam como ele a orar de tal maneira que o Pai “sempre atenda a sua oração’.

Foi digno de notação que Jesus tenha ensinado aos seus discípulos a pregar, ou dirigir louvor, ou ainda administrar um ministério, isto não que dizer que Ele não o tenha feito, porém de forma distinta foi digno de notação bíblica que Jesus tenha ensinado aos seus discípulos a orarem. E eu penso que um dos grandes segredos do sucesso de um ministério está na prática de uma intensa vida de oração.

É dito pelos grandes expositores das Escrituras que a melhor ou a mais perfeita oração é aquela em que ocorre um diálogo entre nós e Deus, onde não só falamos ou somos ouvidos como também somos respondidos e ouvimos. Portanto creio que devemos aprender não só a falar com Deus como principalmente a ouvir a Deus, orando com a boca e também orando com os ouvidos. Jesus nos disse que deveríamos “orar sem cessar”, porém ele também nos disse que quando fossemos orar “não usássemos de vãs repetições”, e que “não seria pelo muito falar que seriamos escutados” . Como podemos Ter um muito orar, ou melhor, um orar sem cessar sem um muito falar? A resposta é simples: Pelo muito ouvir. Orando com os ouvidos.

O ouvir a Deus é essencial na nossa vida de oração, pois é essencial à nossa vida de fé. Abraão, que é o nosso pai da fé, em quatro ocasiões de seus encontros com Deus é registrado nas três primeiras que “Deus falou” e somente na Quarta se diz que “Deus falou e Abraão falou”. Ora, que proporção interessante na vida de oração ou de comunhão com Deus de Abraão, que muito mais ouvia a Deus do que falava com Ele. Sabemos que “a fé vem pelo ouvir, e o ouvir a palavra de Deus” e que “nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que procede da boca de Deus”, logo também no orar podemos crescer em fé ouvindo a Deus. O que Deus fala isso se faz, por isso a fé igualmente traz a existência o que não existe, pois o poder criador pelo ouvir a Deus se manifesta em nós por meio da graça desta fé. Por isso somos muito mais atendidos em nossas orações pelo ouvir a Deus do que pelo pedir a Deus.

“Aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça o que o Espírito diz …” Muitos tem ouvidos surdos quando oram, pois jamais escutam, isto normalmente porque nunca se calam para ouvir a Deus. É necessário se Ter ouvidos para ouvir, não bastando Ter ouvidos para escutar, pois quem só escuta não ouve, porque quem ouve, ouve por dar atenção ao que é dito. Podemos neste mundo barulhento escutar muitas coisas, mas ouvimos o que nos dedicamos a ouvir. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. Mais que ouvir é necessário dar ouvidos, isto é, atender e obedecer o que lhe é dito. Pois “aquele que ouve as Minhas palavra e as pratica é sábio construtor, que edificou sua casa sobre a rocha …”.

Ouvir e atender é bom, mas ouvir e entender é primordial para atender e obedecer perfeitamente. Ser homem de revelação é bom, mas ser homem de entendimento da revelação que lhe é dada é melhor. Pedro era homem de revelação, e revelação dada pelo Pai a respeito do Filho, por isso foi ele chamado por Cristo de Pedro, ou seja, pedra, mas mesmo assim um pouco mais adiante no texto sagrado Cristo o repreendeu por “não cogitar nas coisas de Deus e sim nas dos homens”, chamado-o de “pedra de tropeço”. E o que é uma pedra de tropeço? É uma pedra fora de seu devido lugar na construção. Isto pode ser melhor visto na experiência de Pedro, quando este estava orando no telhado e num êxtase espiritual teve uma visão celestial, ouvindo a voz de Deus, que lhe disse por três vezes mata e come, mas Pedro não obedeceu pois lhe faltava entendimento, embora tivesse tão grande revelação. Isto quer dizer que mesmo que estejamos orando, cheios do Espírito Santo, em êxtase espiritual, tendo visões celestiais e ouvindo a voz de Deus poderemos ser rebeldes e desobedientes não dando ouvidos ao que ouvimos da parte do Senhor por falta de entendimento. Pois “é por falta de entendimento que o povo se corrompe.”

Aprendamos a orar com os ouvidos e não só com a boca! E orando com os ouvidos vivermos a oração com o testemunho de nossa vida.

Deixe seu comentário