Mensagens

Você está aqui: Home | Mensagens | Uma Vida em Obediência

Uma Vida em Obediência

Pastora Cristiane G. de Paula

 

“Naquele mesmo dia, saindo Jesus de casa, assentou-se à beira-mar;e grandes multidões se reuniram perto dele, de modo que entrou num barco e se assentou; e toda a multidão estava em pé na praia. E de muitas coisas lhes falou por parábolas e dizia: Eis que o semeador saiu a semear. E, ao semear, uma parte caiu à beira do caminho, e, vindo as aves, a comeram. Outra parte caiu em solo rochoso, onde a terra era pouca, e logo nasceu, visto não ser profunda a terra. Saindo, porém, o sol, a queimou; e, porque não tinha raiz, secou-se. Outra caiu entre os espinhos, e os espinhos cresceram e a sufocaram. Outra, enfim, caiu em boa terra e deu fruto: a cem, a sessenta e a trinta por um. Quem tem ouvidos [para ouvir], ouça. Então, se aproximaram os discípulos e lhe perguntaram: Por que lhes falas por parábolas? Ao que respondeu: Porque a vós outros é dado conhecer os mistérios do reino dos céus, mas àqueles não lhes é isso concedido. Pois ao que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas, ao que não tem, até o que tem lhe será tirado. Por isso, lhes falo por parábolas; porque, vendo, não vêem; e, ouvindo, não ouvem, nem entendem. De sorte que neles se cumpre a profecia de Isaías: Ouvireis com os ouvidos e de nenhum modo entendereis; vereis com os olhos e de nenhum modo percebereis.  Porque o coração deste povo está endurecido, de mau grado ouviram com os ouvidos e fecharam os olhos; para não suceder que vejam com os olhos, ouçam com os ouvidos, entendam com o coração, se convertam e sejam por mim curados. Bem-aventurados, porém, os vossos olhos, porque vêem; e os vossos ouvidos, porque ouvem. Pois em verdade vos digo que muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes e não viram; e ouvir o que ouvis e não ouviram. Atendei vós, pois, à parábola do semeador. A todos os que ouvem a palavra do reino e não a compreendem, vem o maligno e arrebata o que lhes foi semeado no coração. Este é o que foi semeado à beira do caminho. O que foi semeado em solo rochoso, esse é o que ouve a palavra e a recebe logo, com alegria;  mas não tem raiz em si mesmo, sendo, antes, de pouca duração; em lhe chegando a angústia ou a perseguição por causa da palavra, logo se escandaliza. O que foi semeado entre os espinhos é o que ouve a palavra, porém os cuidados do mundo e a fascinação das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera. Mas o que foi semeado em boa terra é o que ouve a palavra e a compreende; este frutifica e produz a cem, a sessenta e a trinta por um.” (Mateus 13.1 a 23)

O Senhor Jesus nos ensinou, por meio desta parábola, o que acontece com a Palavra de Deus quando cai nos corações. Há pessoas incrédulas, pessoas que não se comprometem, pessoas que amam o mundo e pessoas sedentas que se agarram à palavra de salvação.  A Palavra será pregada a toda criatura e então virá o fim.  Como semeadores, não podemos interferir no solo dos corações.  A cada um foi dado o livre arbítrio e, portanto, o direito de escolha.

Há aqueles que optam por uma vida de incredulidade ou por uma vida de pecado.  Há também os que escolhem uma vida de religiosidade que em nada tem a ver com uma vida espiritual.  Os religiosos pensam que ouvem e que enxergam, mas na verdade são cegos e surdos.  Não há consentimento para que religiosos compreendam a Palavra, porque a Bíblia diz que as coisas espirituais só podem ser discernidas espiritualmente.  Por isto, se somos espirituais, crescemos como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais.   Mas se somos religiosos, vamos acumulando cheiro de morte e nos tornando cada vez mais secos e vazios.

Em Mateus 13:12 é dito  “Pois ao que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas, ao que não tem, até o que tem lhe será tirado.”  Os que optam por caminhar em religiosidade nada têm.  São miseráveis, cegos, pobres e estão nus (Apocalipse 3:17).  Devemos, então, sempre escolher viver uma vida espiritual.

A vida espiritual tem características próprias e claras. Sinais inconfundíveis.  Ela é alicerçada na obediência à Palavra de Deus.  O conhecimento da Palavra não é suficiente. É absolutamente necessária a obediência.  É importante que preguemos a Palavra no intuito de semeá-la nos corações.  Mas a forma mais eficaz de fazermos isto é com o testemunho de uma vida de fé, reta, santa, amorosa e obediente à Palavra.

Uma vida piedosa é alicerçada em Cristo – afinal, Jesus disse “Sem mim nada podeis fazer”. É alicerçada na , porque sem fé é impossível agradarmos a Deus. É alicerçada na santidade, porque em pecado não podemos ter comunhão com o Espirito Santo de Deus.  É alicerçada no amor, porque se nāo houver amor, para nada vale o que viermos a fazer.  E é alicerçada na obediência à Palavra de Deus.  Se alguém apresenta uma vida sem estes quesitos, na verdade, este não é espiritual, mas incrédulo ou religioso.  Poderíamos dizer que o quesito obediência à Palavra engloba todos os demais.  Por isto, ele deve pautar toda a nossa trajetória.

A Palavra nos diz que o que o homem plantar, isto ele colherá (Gálatas 6:7).  Esta semeadura diz respeito à nossa vida, mas pode também se referir ao que semeamos na vida dos outros.  O que esperamos colher da nossa própria vida e da vida dos que nos cercam?  Se semearmos com temor e obediência, com amor e mansidão, com humildade e paciência, colheremos frutos suculentos e saborosos.

Sabemos como devemos semear, mas onde devemos semear?  Nem todo campo verde é solo de bons frutos.

Levantou Ló os olhos e viu toda a campina do Jordão, que era toda bem regada (antes de haver o SENHOR destruído Sodoma e Gomorra), como o jardim do SENHOR, como a terra do Egito, como quem vai para Zoar. Então, Ló escolheu para si toda a campina do Jordão e partiu para o Oriente; separaram-se um do outro. Habitou Abrão na terra de Canaã; e Ló, nas cidades da campina e ia armando as suas tendas até Sodoma. Ora, os homens de Sodoma eram maus e grandes pecadores contra o SENHOR. (Gênesis 13:10-13)

Muitas coisas têm boa aparência, mas na verdade nos levam para a morte.

Mas a serpente, mais sagaz que todos os animais selváticos que o SENHOR Deus tinha feito, disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim? Respondeu-lhe a mulher: Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais. Então, a serpente disse à mulher: É certo que não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal. Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do fruto e comeu e deu também ao marido, e ele comeu. (Gênesis 3:1-6)

Eva semeou a morte da humanidade porque trocou o princípio de obediência pela ilusão do seu olhar.  Tiago 1:14-15 diz “cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz. Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte”.

Se quisermos colher em abundância frutos de bênçãos, decorrentes do esforço de nosso trabalho, deveremos trabalhar observando incansavelmente a Palavra do Senhor, para dela não nos desviarmos nem para direita e nem para esquerda. Então seremos bem sucedidos.

“Se atentamente ouvires a voz do SENHOR, teu Deus, tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que hoje te ordeno, o SENHOR, teu Deus, te exaltará sobre todas as nações da terra. Se ouvires a voz do SENHOR, teu Deus, virão sobre ti e te alcançarão todas estas bênçãos: Bendito serás tu na cidade e bendito serás no campo. Bendito o fruto do teu ventre, e o fruto da tua terra, e o fruto dos teus animais, e as crias das tuas vacas e das tuas ovelhas. Bendito o teu cesto e a tua amassadeira. Bendito serás ao entrares e bendito, ao saíres. O SENHOR fará que sejam derrotados na tua presença os inimigos que se levantarem contra ti; por um caminho, sairão contra ti, mas, por sete caminhos, fugirão da tua presença. O SENHOR determinará que a bênção esteja nos teus celeiros e em tudo o que colocares a mão; e te abençoará na terra que te dá o SENHOR, teu Deus. O SENHOR te constituirá para si em povo santo, como te tem jurado, quando guardares os mandamentos do SENHOR, teu Deus, e andares nos seus caminhos. E todos os povos da terra verão que és chamado pelo nome do SENHOR e terão medo de ti. O SENHOR te dará abundância de bens no fruto do teu ventre, no fruto dos teus animais e no fruto do teu solo, na terra que o SENHOR, sob juramento a teus pais, prometeu dar-te. O SENHOR te abrirá o seu bom tesouro, o céu, para dar chuva à tua terra no seu tempo e para abençoar toda obra das tuas mãos; emprestarás a muitas gentes, porém tu não tomarás emprestado. O SENHOR te porá por cabeça e não por cauda; e só estarás em cima e não debaixo, se obedeceres aos mandamentos do SENHOR, teu Deus, que hoje te ordeno, para os guardar e cumprir. Não te desviarás de todas as palavras que hoje te ordeno, nem para a direita nem para a esquerda, seguindo outros deuses, para os servires.” (Deuteronômio 28: 1-14)

Deixe seu comentário